sábado, 29 de janeiro de 2011

Humildade - Do Jeito de Deus

Enquanto a compreensão do Antigo Testemunho sobre humildade inclui inferioridade ou aflição, seu significado no Novo Testamento é, primeiramente, uma qualidade pessoal de dependência de Deus e respeito por uma outra pessoa. Humildade não é um instinto natural do ser humano; é uma virtude dada por Deus através de um viver consagrado. (por isso vemos tanta diferença entre cristãos e cristãos, que dizem ser humildes)
A essência da mente de Cristo era a humildade e o amor sacrificial pelo próximo, enquanto a essência da degenarada mente humana é o egoísmo e o orgulho. A vida de Jesus Cristo prove o perfeito exemplo de humildade. Embora ele tenha sido e seja a divindade eterna, Jesus se apropriou da humanidade com todos os atributos pessoais exceto a pecaminosidade. Dessa maneira, o crente deveria ter o cuidado de se humilhar para ser o que ele, de fato, precisa ser.
Durante um tempo em que o mundo grego repugnou a qualidade da humildade, Cristo veio como um Salvador humilde. Ele humilhou a si mesmo para tornar-se obediente a vontade de Deus, a qual o conduziu a sua morte na cruz. Jesus estimulou seus seguidores a serem humildes perante Deus e os seres humanos e a praticarem a humildade.
As escrituras prometem que a vontade de Deus exaltará aqueles que forem genuinamente humildes. Humildade não vem por si mesma, mas vem de Deus e resulta em louvor a ele.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Obediencia - No Jeito de Deus

Fazendo a vontade de Deus

A Bíblia, claramente, nos instrui a sempre obedecer ao Senhor. Especificamente, somos solicitados a ouvir sua Palavra e a fazer a sua vontade.
Nossa obediência flui do nosso amor por Deus. Se nós amamos o Senhor, nós teremos vontade de servi-lo; em servindo a Deus, teremos a vontade de obedecer aos seus mandamentos. Atos de obediência, então, devem ser reflexo da realidade interior do amor profundo ao Senhor e do comportamento com ele.
Devemos também obedecer as autoridades que o Senhor inclui em nossa vida, reconhecendo que toda autoridade vem de Deus e é, no final das contas, da parte dos planos divinos. As escrituras defendem, claramente, a obediência das esposas em relação aos seus maridos, dos filhos aos pais, dos escravos aos mestres, dos cristãos aos líderes da Igreja e dos cidadãos aos funcionários do governo.
A obediência não é uma resposta automática. Ela dever ser aprendida, e, reciprocamente, devemos ensiná-la aos nossos filhos (e filhos espirituais). Obedecer as autoridades é parte dos planos de Deus para o estabelecimento da paz e da segurança para que possamos não somente cumprir os nossos próprios potenciais, mas levar efetivamente o evangelho a outros.
Ao obedecer àqueles que Deus colocou acima de nós com autoridade, devemos reconhecer que não se podem quebrar mandamentos de Deus (veja Joquebede, assim como Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego com exemplos daqueles que desobedeceram a autoridades civis em completa obediência ao Senhor) Devemos obedecer as ordens das autoridades desde que estejam dentro dos limites da retidão, indiferentemente de nossos desejos pessoais, preferências, opiniões e percepções confiando no Senhor para honrar a nossa obediência, para guiar os governantes e para ligar com as autoridades de acordo com a vontade divina. As conseqüências da nossa obediência estão sob o domínio de Deus.
O Senhor promete proteção contra os nossos inimigos, força e benção enquanto obedecemos. A desobediência, no entanto, resulta em desastre material, psicológico e espiritual. Mesmo assim, a desobediência faz parte da natureza pecadora e é inevitável em nossa vida. Israel, freqüentemente, falhou em ouvir e fazer a vontade de Deus.

Andava sumida

Oi gente!
Desculpe a ausência.
Estou voltando......

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Domínio próprio

Deus nos deu o poder de nos dominar em tudo. Então porque não usar esse “poder” em nós?
O domínio próprio esta ligado diretamente a uma disciplina. Se você não gosta de disciplina você não terá domínio. Se você não tiver o desejo de servir a Deus com sua vida, você não tem domínio próprio.
Ter domínio próprio significa: ter um padrão de vida a viver (o padrão de Deus) e negar a minha vontade (que muitas vezes quer gritar).
Algumas vezes vemos mulheres que se sentem feias por estarem acima do peso, ou nem se sentem feias mas sabem que estão acima do peso e precisam fazer algo pra mudar isso e dizem não conseguir. Vão pelos caminhos mais fáceis mas, que até a própria medicina critica: os remédios.
Vou ser bem sincera: se você tem certeza que você nasceu de Deus e diz que não consegue perder peso (principalmente se você ganhou alguns quilinhos depois que casou), você não faz uso do poder de Deus em você. Você tem domínio sobre o seu corpo, você é quem manda em você, porque não conseguir perder peso?
“Ahhh mas sou ansiosa, fico nervosa com isso e com aquilo....” Se você é nascida de Deus, você consegue. Ansiedade e nervosismos também não fazem parte do jeito de Deus.
Eu particularmente estou em uma luta árdua. Meu Deus!!!
Não gosto de água. Meu estomago embrulha quando bebo água mas, sei que tenho que tomar. Adotei uma meta: pelo menos 1 garrafa de 1 litro e meio a partir de ontem e, de tempo em tempo olho pra essa garrafa e lembro que tenho que tomar.
Disciplina rígida, se tem que ser assim então vai ser.
Se temos metas, temos todas as condições de alcançá-las e ainda com vantagens: Deus em nós! Como não vamos conseguir?
Então se você sabe que você precisa fazer alguma coisa seja para sua saúde, para o seu comportamento, e para o seu relacionamento com Deus, faça! Não espere para amanhã.
Estabeleça a meta.
Trace o caminho que você tem que percorrer para conseguir.
Seja disciplinada (use o poder de Deus em você!) – tenha domínio próprio.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Fruto do Espírito - O Jeito de Deus em nós

O “fruto” do Espírito Santo refere-se aos atributos divinos dos que “andam no Espírito” (Gl 5.16). A verdadeira manifestação do Espírito Santo operando na vida do cristão é que este se torna cada vez mais parecido com Cristo no caráter e nas ações. O fruto do Espírito deveria caracterizar a vida do cristão, não só do espiritualmente maduro.
O fruto do Espírito Santo, afeta o relacionamento do cristão com Deus, com os outros e consigo mesmo. A medida que os cristãos crescem, na sua relação com o Senhor, desenvolvem amor não-egoista, alegria genuína e paz duradoura. A medida que se relacionam com os outros, são desafiados a refletir a paciência, a benigdade e a bondade do Senhor. A medida que amadurecem espiritualmente, os cristão descobrem uma força interior que resulta em fidelidade, gentileza e domínio próprio.
A vida de Cristo é manifestada pelo fruto do espírito; os ministérios de Cristo são efetuados pelos dons do Espírito. Os seguidores de Cristo não apenas recebem as bênçãos de Deus, mas também refletem o caráter de Deus a todas as pessoas do seu convívio.

Bíblia de estudo da Mulher.

Se você é nascido de Deus todos os frutos do Espírito Santo existem em você (é o próprio Deus em você) se isso não existe, você deve buscar o novo nascimento.
Só ele pode garantir que você permaneça, e permaneça na fé, bem.
Outras informações sobre o jeito de Deus vamos encontrar por toda a Bíblia. E é isso que vamos ver aos pouquinhos.....

Jaçanã

O pastor que me colocou como obreira sempre falava para não nos esquecermos dos nossos princípios humildes.
E esses é um dos motivos pelo qual eu gosto tanto de ir na Sede onde estive como obreira.
Toda vez que vou lá passa um filme na minha cabeça.
Onde eu sentava com minha mãe.
O altar onde várias vezes eu chorei.
A sala  onde preparávamos a ceia.
Tudo alí me faz lembrar o tamanho que sou: minisculo. O vermezinho de Jacó.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Meu jeito

Tenho os traços do meu pai. Mas quando dou risada, fico muito parecida com minha mãe. Não tem como não dizer que não sou filha deles. (risos)
Quando me converti, para que eu pudesse mudar o meu jeito, sempre me perguntava: “Será que o Senhor Jesus aprovaria isso?”
“Será que uma filha Dele usaria esse tipo de roupa?”
“Será que uma filha de Deus falaria tais palavras?”
Creio que Deus viu a intenção do meu coração e assim operou o milagre do novo nascimento em minha vida. Hoje, já não tenho mais o meu jeito, mas sim o jeito do meu Pai.
Quem é nascido de Deus não tem ‘o meu jeito’ mas sim o jeito de Deus.
Se você é uma pessoa nascida de Deus e trabalha com outra pessoa também nascida de Deus,vocês jamais terão problemas pois, são filhas do mesmo Pai. Vocês tem a mesma educação (educação espiritual, no caso), os mesmos valores, as mesmas regras e, por mais que haja diferenças em comportamento por vocês serem nascidas de Deus, o orgulho não fará parte de vocês e sempre que alguma cometer alguma falha (não de caráter) a outra não irá discutir, vocês não irão brigar.
E quando ambas fazem a obra de Deus aí mesmo que não deve haver desentendimentos pois, se as duas obedecem a direção como pode uma dizer para a outra que é do ‘seu jeito’? Não tem como.
Como pode haver dúvidas ou reclamações? Não tem como. Pois todos seguem a mesma linha.



E qual é o jeito de Deus?
Veja no próximo post....

sábado, 8 de janeiro de 2011

Sindrome do achismo

“Ai, acho que ela não gosta de mim.”
“Eu acho que ela fez isso de propósito.”
“Acho que ela está chatiada comigo.”
“Acho que ele não me ama.”
Etc.....
Muitas mulheres tem essa síndrome.
Nunca sabem ao certo o que se passa e supõe “any” coisas. Sofrem por antecipação, choram sem ao menos saberem se sua suspeita é verdadeira.
Quantas não são os desentendimentos entre mulheres que são baseados em suposições.
Quantas mulheres brigam com seus respectivos maridos por achar que ele fez algo de propósito. Elas nem ao menos param para pensar que a cabeça do homem é muito diferente da mulher.
A mulher anota cada detalhe. O homem não guarda detalhes.
Essas mulheres perdem muito da vida achando. Não vivem porque acham.
Mulheres vamos mudar essa situação!
Vamos deixar a síndrome do achismo de lado e dar novos rumos aos nossos relacionamentos.
Não tenha um pré-conceito. Conheça primeiro. Mas não faça julgamentos. Nem julgamentos precipitados.

“O homem paciente dá prova de grande entendimento, mas o precipitado revela insensatez.” PV 14.29
“Não é bom proceder sem refletir e peca quem é precipitado.’ PV 19.2

Talvez você tem perdido grandes oportunidades de ter ao seu lado pessoas maravilhosas por achar que aquela pessoa é antipática, metida, etc.
Ou você tem discutido com seu marido e nem ele saiba o que ele fez!
E mais fácil acreditar na mentira do diabo e deixar de lado a verdade de Deus?
Achar é dúvida. E a dúvida é a arma forte do mau contra a fé.
A dúvida gera o pecado e o pecado a morte.
Pense nisso.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Obreiros verdadeiros

Mas graças a Deus existem aqueles que não se cansam nunca. Que andam uma milha a mais.
São aqueles que seu objetivo não era o uniforme, porque só isso ele poderia alcançar. O objetivo dele é algo ainda maior: satisfazer a vontade de Deus; ser a cada dia um homem uma mulher de Deus. E isso não se conquista. Isso é o resultado de uma busca incessante, incansável e perseverante.
Aquele que é de Deus sempre esta na ativa, é trabalhador, fiel, temente, perseverante e HUMILDE. O tempo não é seu inimigo mas sim seu aliado.
Pergunte a você mesmo: Porque eu quero fazer a obra? (Ou: porque estou fazendo a obra?)
Para satisfazer um desejo pessoal ou para honrar a Deus.
O seu atual sucesso ou seu atual fracasso se resume em você responder a essa pergunta.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Alcançando o estrelato

Algumas pessoas tem nos perguntado porque muitas pessoas páram ao serem levantados a obreiros.
Pessoas que eram extremamente dadas na evangelização ou no grupo jovem mas param ao colocar o uniforme de obreiro.
Chega a ser espantoso essa situação também chegar até a algumas esposas de pastores.
Forte essas palavras? Mas são reais.
Se pararmos para analisar vamos ter nossa resposta.
A pessoa chega a igreja, se converte, entra em um grupo aí surge o desejo de fazer a obra e ela se empenha, faz de tudo. Não vê hora, local. Ora, jejua, faz propósitos malucos, chora, somente para que Deus a veja e atenda sua vontade: a de ser obreira.
E seu empenho faz com o desejo dela aconteça. Mais uma obreira. Poxa que bacana.
Mas com o passar dos dias não vemos mais a “nova obreira” evangelizando, atendendo o povo, só a vemos em algumas reuniões, trabalhando de uniforme. Bem alinhada, arrumadinha, mas logo que acaba reunião ela vai embora pois tem outros compromissos.
Esse é um triste relato de muitas, mas muitas pessoas na obra.
O motivo disso?
A pessoa conquistou o que ela queria.
Se ver de uniforme ou de estar em um determinado lugar é o motivo da pessoa parar por ter alcançado o que queria.

O Cantinho da Mulher de Deus © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO